Aiii. Isto não há maneira de ficar melhor?

Para quem conhece melhor a realidade Americana, e principalmente a relação que se estabelece entre a sociedade cívil e os militares.

Assiim, é muito perturbante o que Keith apresenta.

O exercito pagar, do seu bolso (ou seja, do dos contribuientes) “agradecimentos” às tropas é de um tremendo mau-gosto.

A ver se a NFL “limpa a casa” (de uma vez por todas)

Alterações nas regras dos PAT’s (e faltam 15 semanas)

Depois de muita conversa (e muito queixume), finalmente a NFL tomou uma decisão relativamente à mudança de regras no que se trata de pontos extra (PAT). Em 2015, os PAT serão das 15 jardas (no lugar das 2 jardas como serão este ano) e a equipa especial que está a defender os postes, pode, no caso de recuperar a bola e chegar à zona final do adversário, marcar dois pontos.

Já a opção de ir para a conversão de dois pontos (no lugar de fazer um PAT), a proposta de mudança de regra de a bola passar das 2 jardas para a 1 jarda, foi recusada. Portanto, vai continuar a mesma distância para entrar na endzone. A votação foi de 30-2 (30 organizações concordaram com a mudança nas regras, enquanto Washington e Oakland pensaram que não têm coisas mais importantes em que pensar).

Isto pode proporcionar decisões interessantes por parte dos treinadores, uma vez que, aumenta o risco de se falhar o PAT, enquanto a percentagem de conversão de uma jogada para dois pontos continua a ser tentadora.

Outra estatística interessante é que, esta época, quando uma equipa foi para o PAT, teve 99% de acerto, já quando os Field Goals foram entre 30-39 jardas (a distância para 2015 vai ser de 33 jardas) a percentagem de acerto cai para 90%. E também vai ajudar a imprensa, como todo um universo de second guessing que sabemos fazem as “maravilhas” dos analistas e dos adeptos.

A outra condição que também irá ganhar nova importância, é se a equipa está a jogar num clima moderado, ou dentro de um estádio coberto, ou pelo contrário se se está em Green Bay, ou Chicago. Imaginem dezembro nestes sítios e, novamente, um treinador ter de tomar uma decisão que lhes pode valer um jogo. patNa minha opinião, parece uma boa ideia. O que for para aumentar a incerteza no jogo, causar mais espetáculo, e proporcionar-me mais material para poder fazer “considerações” sobre decisões sobre pressão, parece-me bem. E o que acham?

Sofás, abraços e fumo branco.

Ahhhh… o momento onde a ONU, a NATO, a OCDE, o CDC, e todas essas organizações que são responsáveis pelo mundo funcionar melhor.

Não pensem que se podem comparar com a NFL

Resumindo, está tudo bem, os Pats estão bem com a NFL, e Kraft com Goodell.

Tudo está bem com o mundo novamente.

NFL abdica do estatuto de não ter de pagar impostos (a seguir, o mundo vai acabar)

Roger Goodell fez notícias ao enviar uma carta para as equipas a dizer que irá voluntariamente “eliminar a distracção” de uma organização que tem 10 biliões de lucro anuais estar isente de pagar impostos para o IRS.

Num memorando para as 32 equipas, o Comissário escreveu que “a mudança no modo de taxação da organização não irá afectar a direção da Liga ou o seu Managment Council”. Ou seja, impostos, impostos, o ordenado do Comissário à parte.

Ainda não se sabe o que significa para a NFL a nível de dinheiro que tenha que ser entregue ao departamento de tesouro do governo Americano, uma vez que, retirando voluntariamente essa benesse que a Liga tinha, o IRS terá de desenvolver um taxação específica para a organização.

O mesmo aconteceu, por exemplo, com a MLB (Baseball). A NBA não tem esse estatuto e por sua vez a NHL passa a ser a única Liga (das quatro grandes) que vai manter o estatuto de “tax exempt”.

Mas, independente de quanto possam começar a pagar, toda a gente sabe que será uma “gota no oceano”. A NFL está “verdadeiramente” protegida financeiramente por causa de uma lei passada pelo Congresso Americano em 1961 que permite à NFL (e as equipas) negociarem contratos com televisões e rádio sem receio de haver queixas por monopólio (que por exemplo levou à totalmente idiota regra que os jogos tem de ser locais ou que não passam na tv se o estádio não está esgotado).

Mas ao menos vai deixar de ser tão ofensivo (e obsceno) que era haver uma Organização que faz uma larga porção dos seus lucros “nas costas” dos contribuintes, sem devolver nada à comunidade.

atl

OMG! Spaz

Vão acreditar em mim quando, ao ver este vídeo, pensei…”damn, estou a ficar como o Olbermann.”

Eu também pensei que, a juntar-se às grandes frases da história da NFL, agora tempos…

“OMG! Spaz”