Dentro da Game Room para o Super Bowl (2ª semana)

Nesta semana, no Dentro da Game Room, um treinador atacante com “fibra”

Para o seguidor habitual da NFL, a discussão sobre Joe Flacco ser (ou não) um quarterback (QB) de “elite” pode parecer algo despropositada, incompreensível ou simplesmente desnecessária. Como apresentei aqui, a verdade é que Flacco superou as expectativas nestes playoffs e está justamente no Super Bowl.

Outra discussão interessante, e que se liga de uma forma muito direta à primeira, foi o facto de Harbaugh (o do Este) ter despedido Cam Cameron com o coordenador atacante dos Ravens na semana 14, logo a seguir a uma derrota contra os Redskins.

Nessa altura, quem tomou conta do ataque foi o treinador dos QB’s, Jim Caldwell. Mais conhecido (de uma forma sarcástica em parte dos media Americanos) como o “boneco de cera” que era colocado na linha lateral dos Colts para dar a impressão que a equipa de Indianapolis tinha um treinador principal, quando na verdade era Peyton Manning que tinha esse trabalho.

cald1

Afinal até parece que Caldwell tem carisma e influência, uma vez que a equipa dos Ravens mudou a sua forma de jogar no ataque com um tipo de jogo mais baseado em “power football”. Desde então que os Ravens começaram a ter uma média de 30 pontos por jogo.

A chave para o sucesso de Flacco está, curiosamente, em se apostar mais… no jogo em corrida. Nos primeiros 13 jogos da época, os Ravens correram em 40% das jogadas de ataque, e nas últimas três semanas da época regular e nos três jogos de playoffs, o número subiu para 49% das vezes. Em jogadas de primeiro down, a alteração foi ainda mais visível, com os Ravens a correrem 61% das vezes que têm um primeiro down.  Isso deu uma média de mais 10 corridas por jogo e 46.5 jardas.

Essa mudança criou mais liberdade para o ataque pelo ar, que beneficiando dos ajustes da defesa para parar a corrida, criou mais espaços para os recievers dos Ravens. Isso viu-se com o aumento de jardas em passe, onde a equipa passou de 236 jardas em média antes da mudança de ataque, para 251 nos últimos 6 jogos.

O principal beneficiado foi claro, Joe Flacco, que está com uma média de 9.1 jardas por cada passe, lançou para oito touchdowns (TD) e não tem nenhum interceção (INT) quando se depara com defesas que enviam 4 ou menos 3 jogadores para fazer pressão no QB. Durante a coordenação de Cam “Cam”, Flacco teve 18 TD’s e 9 INT’s

A juntar a isso, “carregar a caixa” na defesa com 7 jogadores (seja um 4-3 ou um 3-4) mais perto da line of scrimmage (local de onde se inicia a jogada) tem feito também abrir linhas para passes longos, que Flacco tem aproveitado com grande sucesso. Mais uma vez, quando se compara Flacco durante Cam “Cam”, ele conseguia completar 1 passe em 3 para mais de 20 jardas, enquanto com Caldwell, e devido a um maior número de 1 para 1 na defesa, o seu aproveitamento passou para 50%

Poderá ter sido que uma mudança que foi considerada na altura como “de desespero” tenha sido a solução para os Ravens ganharem o Super Bowl? No domingo teremos respostas.

cald2

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s