Ups and down para a 1 semana de Abril

“Up and Downs” na NFL agroa que entrámos em Abril

Em alta

Tony Romo: Os Cowboys chegaram a um acordo com o quarterback (QB) da equipa, Tony Romo, para um contracto de 6 anos com um valor reportado de 108 milhões de dólares. Apesar de os primeiros relatórios apontarem para 55 milhões garantidos, fontes próximas dos Cowboys dizem que o valor de dinheiro garantido é de 40 milhões, sendo assim menor que o valor auferido por Drew Brees e Joe Flacco.

Brent Grimes: Depois de ter sido um dos cornerbacks (CB) mais “visíveis” na terceira linha defensiva dos Falcons (em certos jogos que comentámos na SportTv, o Grimes é aquele tipo de jogador defensivo que parece “encher” o campo todo) vai agora para Miami com um contrato de 1 ano, 5 milhões, com 3 milhões garantidos.

Washington Redskins: Conseguiram segurar o Tight end (TE) Fred Davis, apesar de este ter sido cobiçado por outras equipas. Apesar de uma história de lesões, Davis é um TE com boa capacidade de bloquear e receber passes curtos, algo que se encaixa muito bem na filosofia atacante dos Redskins sob comando do RGIII.

Washington: Não, não a equipa, a cidade. Depois de terem RGIII a caminho de uma recuperação completa, agora o QB até “palavras de encorajamento” recebe do Presidente dos USA. Numa conversa entre o atleta e o Presidente, RGIII enviou um tweet que dizia “uma boa conversa com o @barackobama: Palavras sábias & e muito agradecido”. O Presidente também gostou da conversa, e aproveitou para dar uma “alfinetada” nos opositores políticos ao dizer que “É difícil unir esta cidade em torno do que quer que seja. Acreditem em mim. Eu sei. Mas RGIII faz as coisas parecerem fáceis.”

Atlatnta Falcons. Os Falcons continuam a “dar cartas” na aquisição de jogadores chaves para a Organização. Agora é a vez de melhoraram a sua linha defensiva, com a aquisição do defensive end (DE) Osi Umenyiora que (e como todos bem sabemos) estava nos NY Giants. O contracto é de dois anos, e Osi vai ter a responsabilidade de substituir John Abraham a colocar pressão nos QB’s das equipas adversárias.

Em baixa

Dallas Cowboys: Tony Romo. Em sete anos como titular na equipa, Romo tem um recorde de 55 vitórias e 38 derrotas na época regula, no entanto nos playoffs está com um recorde de 1 vitória e 3 derrotas. É muito dinheiro para um jogador que ainda não provou ser capaz de levar a equipa a um título. Também é verdade que Brees e Flacco “só” têm um campeonato… but still. É um risco muito elevado para a Organização e ficam os adeptos de “coração na mão”.

Donavan McNabb: O antigo jogador enviou um tweet onde se pode ler:

mc

O que é que o McNabb tem a ver com as decisões negociais dos Cowboys? E que é que o McNabb pode dizer do dinheiro dado a Romo? Está a comparar-se com ele? Quantos títulos ganhou ele…os esperem, zero (0)! McNabb, you got to be kidding us.~~

Buffalo Bills: Ao assinar com Kevin Kolb por dois anos, 13 milhões, os Bills tornam a correr um risco muito grande com uma posta para a posição e QB. Kolb teve um total de 15 jogos como um Cardinal com um muito modesto registo de 6 vitórias e 8 derrotas como titular. Depois de terem assinado Ryan Fitzpatrick por 59 milhões, e não terem tido nada em retorno, este contracto até parecer ser muito bem conseguido. Vamos ver como é que Kolb passa do deserto, estádio coberto com ar condicionado, para temperaturas negativas e ventos fortes.

Arizona Cardinals: Carlson Palmer é um dos QB’s dos Cardinals para esta época. Really? Perdoe-me o cepticismo. Não fez nada nos Raiders e é em Arizona que pode relançar a sua carreira? Pelos menos Fitzgerald diz que  “está muito contente”. Bom para ele.

Oakland Raiders: Para ter Matt Flynn, um QB que ainda não provou nada na NFL e que só teve um jogo que foi registo de nota, os Raiders tiveram de enviar uma escolha na quarta ronda do draft de 2014 e uma escolha condicional para 2015. Depois das escolhas de draft para os Bengales por Palmer, agora mais escolhas para outro QB que pode (ou não, para os fãs da equipa) não ser uma solução para os problemas da equipa nessa posição.

Advertisements

7 comments on “Ups and down para a 1 semana de Abril

  1. Se eu não acreditar no Carson Palmer quem irá. Mais valia apostar no Geno Smith no draft mas enfim. Mas ainda assim é um upgrade aos restantes qb da equipa mas duvido muito que seja possivel o acesso aos playoff. Vamos ver. Ainda agora acabou a época e já estou ansioso que comece a próxima, estou bastante curioso para ver como se “safam” os raiders com o matt flynn e os chief com o alex smith que são talvez duas equipas que vão emergir nos próximos anos.

  2. Esta (e outras) trocas demonstram que as equipas da NFL não têm grandes perspectivas sobre os QB’s disponíveis no próximo DRAFT!
    Quanto ao Carson Palmer, nunca demonstrou, na NFL, os atributos que fizeram dele o melhor jogador Universitário.
    Uma equipa de Cincinnati em baixa e uns Raiders excêntricos nunca foram os locais ideias para “criar” uma carreira estável.
    De uma coisa os adeptos dos Cardinals podem esperar: “Bombardeamentos constantes em direcção ao Larry Fitzgerald!
    Desde Kurt Warner (e não, não os posso comparar) que o “Siamese Fighting Fish” não tem um QB com um braço como o de Palmer!

  3. Por acaso até acho que a trade pelo Palmer faz sentido. Para todos os intervenientes. Os Raiders livram-se da obrigação de pagar 13 milhões, este ano, conseguindo apanhar Matt Flynn por 5 milhões. Não sendo expectável que Flynn seja a next big thing, é provável que mantenha a equipa minimamente competitiva. Reggie McKenzie tem tido um trabalho espinhoso como GM em Oakland, com um cap space de pesadelo e com poucas picks nos drafts. Até por isso faz sentido, pois Flynn apenas custará picks a partir do próximo ano. Palmer, nos Cards, é melhor do que qualquer QB que lá esteja no roster. Bruce Arians detesta a West Coast Offense, preferindo QBs que lancem para o fundo do campo, sejam rotas intermédias ou longas. Foi assim quando ele treinou o Ben Roethlisberger e no ano passado, com Andrew Luck. Não foi por acaso que o Luck terminou com o 2º melhor registo, na média de jardas. Acho que o Palmer, mesmo com 33 anos e alguns problemas físicos, conseguirá dar o jogo vertical que o Arians quer, aproveitando finalmente as capacidades do Larry Fitzgerald. E estas trocas todas só mostram a desconfiança da maioria em relação à classe de QBs que está no draft. O Palmer permitirá que os Cardinals explorem as opções, seja neste draft ou no próximo (já deverá ter o Teddy Bridgwater ou outro prospect interessante), sem estarem agora desesperados por um QB.
    Em relação ao Romo, julgo que não é assim tão escandaloso o contrato. O Romo tem qualidades. Acima da média. É pena ser algo inconsistente, mas nem todos os males dos Cowboys são culpa sua. Maus drafts (por exemplo, do draft de 2009 já não resta ninguém no roster) e alguns buracos na defesa, que tardam a ser supridos. Tem também uma OL miserável (tirando o Tyron Smith) e levou com perto de 50 sacks no ano passado. A equipa está numa das divisãos mais competitivas e tem conseguido ser competitiva, mesmo ficando de fora dos playoffs, nos dois últimos anos. Os Cowboys estavam numa daquelas encruzilhadas. Em 2014 o Romo seria free agent. Ou renovavam com ele ou arriscavam-se a perdê-lo, para o ano. E vê-se, no desespero dos Bills, Cards, Raiders, a dificuldade que é conseguir um franchise QB. Logicamente que o dinheiro pago parece muito, mas estive a ver e o Romo, na época regular, foi melhor em tudo do que o Flacco. Mais jardas lançadas, mais TDs, maior percentagem de passes concretizados. É lógico que o Flacco, mercê duma postseason incrível, tem um anel para mostrar, mas (opinião pessoal) preferia ter o Romo numa equipa do que o Flacco. 2013 será o ano de tira-teimas, quanto à qualidade de Romo, mas o dinheiro pago será similar ao que o Cutler, Sttaford e Rivers ganharão, no futuro.
    Quanto aos Bills, a troca Fitzpatrick-Kolb foi motivada por dinheiro, também. Acredito que, mesmo com Kolb, irão draftar alguém (Ryan Nassib?) para competir no roster e poder ser alternativa, talvez em 2014.
    Dos Falcons já tinha falado. Estão no caminho certo. Boas contratações, equipa sólida tanto no ataque como na defesa e o selo de contenders bem gravado. Irão aos playoffs e, depois, é tudo uma questão de sorte e talento, em doses calibradas.
    Uma palavra final para os Dolphins. Não sei se conseguirão importunar o habitual passeios dos Patriots, mas a equipa está muito mais equilibrada e com enorme potencial, tanto no ataque como na defesa. Falta saber apenas quem será o substituto de Jake Long, mas Joe Philbin tem um belo roster em formação.

    Continuação de bons artigos,

  4. como adepto dos cowboys não posso ficar indiferente ao novo contrato do romo, parece escandaloso os números que irá receber…. mas vendo bem existem algumas situações que tornam aceitáveis o que foi feito (e não sou grande adepto do romo, como adepto dos cowboys tenho de acreditar!!): primeiro o contrato tinha de ser renegociado para espalhar os €€ pelos anos para aumentar o “cap space” desta época de modo a irmos ao draft e ainda adicionar umas peças á defesa (já feito…), espero que consigam o mesmo com o Spencer ainda…, depois correndo o risco de perder o romo, não se vê de repente nenhum QB melhor, basta ver os QB que andam a saltar nas organizações mas nenhum é melhor que o romo…. espero que no draft se preencha com jogadores de qualidade a linha ofensiva(que muito tem prejudicado o romo e o nosso running game deixando dallas como uma equipa algo unidimensional…) e talvez 1 safety (depois das saídas do jenkins e do sensabaugh…). Penso que linha ofensiva e safety serão os principais alvos no draft. Assim podemos continuar a ser competitivos e lutar para ganhar a divisão e esperar que este seja o ano que o romo se assuma de elite…

    com o grimes miami continua a acrescentar jogadores de qualidade á sua equipa, deixando para o draft o preenchimento das trincheiras…. que são tão ou mais importantes que os grandes nomes que já foram buscar… de qualquer maneira prometem lutar pelo wild-card…. tal como os chiefs!

    e que dizem dos buccs? várias aquisições de jogadores de grande nível e de outros que são boas soluções para dar profundidade, mas jogadores como goldson, crabtree, ogletree, casillas, steve smith… entre outros e ainda com a possibilidade de darrele revis tornam os buccs um forte contender pelo menos ao wild-card, mas penso que o problema é o QB, josh freeman não me parece ser um QB com nível suficiente para comandar esta equipa….

    palmer em Arizona, talvez seja um upgrade em relação ao que havia, mas naquela divisão simplesmente não têm hipótese…. apesar de terem uma boa defesa e o palmer, mendenhall e o fittz no ataque… mas a linha ofensiva é um desastre…. o flynn não se sabe ao certo o seu valor, mas podendo ser uma valia, a equipa dos raiders tem demasiados buracos para poder sequer fazer melhor época que a anterior (saiu o heiward-bey e o keller)…. e vão andar pelo fim da conferencia com os jets, jaguars e talvez os bills e os browns… os bills com o kolb vão andar pelo fim da divisão, não é melhor que o fitzpatrick mas é mais barato, percebe-se talvez, mas não levará a grandes resultados…

    Que dizem das recentes críticas ao geno Smith e como poderá isso condicionar a sua escolha no “draft”??? acham que ele pode ser escolhido por uma equipa como jacksonvile, browns ou bills e poder ser um QB titular nalgumas destas organizações??? e onde acham que ele pode parar?

  5. É uma incógnita apostar em que equipa o Geno vai acabar. A crítica, no singular, veio dum quadrante que está debaixo de fogo. O Nolan Nawrocki, scout do Pro Football Weekly, autor da devastadora análise sobre o Geno, é acusado sem qualquer pudor de ser racista. E isto porque já tinha feito o mesmo ao Cam Newton, colocando tudo em causa. Pode ou não gostar-se dum prospect, mas inventar factos para justificar uma crítica parece-me grave. No caso do Geno, o que sempre li e agora foi reafirmado pelo seu head coach em West Virginia, é que ele era um rato de ginásio e laboratório, sempre ávido de aprender sobre os adversários e bastante estudioso. Isso colide com o que foi escrito pelo Nawrocki. Estranho, porque costumo comprar o anuário que o PFW publica, antes do draft, e sempre gostei das análises dele. São incisivas e quase sempre certeiras. Por acaso, em relação ao Geno, concordo com algumas das coisas que ele escreveu, nomeadamente na incapacidade dele prever a pressão ou as blitzes e o facto de segurar muito a bola. Mas, quanto ao resto, pelo que vi, gostei do braço, da precisão e da calma que ele tem, durante o jogo. Se adivinhasse, apontava os Jags como fortes candidatos. Acho estranho a equipa não ter entrado na luta por um QB, como as outras (Cards, Raiders, Bills) que estavam na mesma situação.

    • o amigo paulo parece do staff!!! grande conhecimento do que se passa na modalidade e a partilhar as suas opiniões e sabedoria connosco….desde já agradeço a sua opinião (não necessariamente por ter deixado algumas interrogações no meu comentário anterior, mas principalmente por estar interessado em ver o que poderá valer este QB) á ideia sobre o geno Smith até porque sinceramente desconhecia as relações entre o senhor nawrocki e algumas das suas opiniões mesmo sobre o cam newton e agora sobre o geno…. mas podendo ele ir para jacksonvile seria o assumir do erro em gabbert ou seria uma luta pela titularidade aberta partindo para o training camp com 50% para cada um?? é que seria o 2º QB draftado pela equipa no top 10 em apenas 3 drafts (o que acho não é muito comum) e seria o assumir do erro de casting em gabbert que foi escolhido á frente de nomes como o ponder(apesar de não o achar muito bom), mas principalmente á frente de kaepernick e andy Dalton (falando só de QB, pois se víssemos outras posições grandes nomes foram preteridos pelos jags para ficarem com gabbert).

  6. Carlos, não sou do staff:) Sou é um viciado, cada vez maior, em futebol americano, que se tornou o meu principal vício. Daí até procurar saber sempre um bocadinho mais, todos os dias, é um pequeno passo.
    Concordo com esse ponto de vista sobre o Geno e os Jaguars. Efectivamente, poderia ser um erro gastar uma pick alta novamente noutro QB, mas o Gabbert já teve dois anos a titular e foi francamente mau, mesmo que tenha revelado algumas melhorias no ano passado, até se lesionar. Não me parece que seja ele a resposta que os Jags precisam, mas acredito que tenha mais um ano pela frente, uma espécie de tira-teimas. Uma das coisas que gosto de fazer – e que o Carlos focou no seu comentário – é analisar drafts passados e pensar o que poderia ter acontecido, se a equipa A tivesse escolhido outro jogador. Cometem-se erros tremendos. Como esse que fala, do Russell Wilson, que foi escolhido no 3º round no ano passado. E os Jags, nesse mesmo round, gastaram a pick num…punter. Parece que há franquias que nunca aprendem com os erros. Tenho curiosidade em ver o que o Gus Bradley vai fazer na franquia, depois do excelente trabalho feito na defesa dos Seahawks.

    Em relação ainda ao Nawrocki, acho que a análise dele do Geno é muito forte e crítica, mas as reacções dos media são também algo exageradas.Gosto do que ele escreve. E até aconselho. A revista do Pro Football Weekley, que pode ser adquirida online em pfd, custa 7 USD, salvo erro, e tem qualidade.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s