Triptico do NFLemPT para a 3ª semana de Agosto

We’re back and we’re bad!

Bem, pelo menos estamos sentados numa espreguiçadeira à beira-mar (ou de uma piscina, no caso do Charles).

Agora que já estamos a meio de Agosto, fica aqui mais um artigo nossas considerações (Ricardo, Charles e Pedro) sobre alguns dos assuntos “quentes” da Liga

As vossas opiniões também contam.

trip (1)

Ricardo Silvestre:

Já chégamos à LFL, ou quê?

Por esta altura já começa a ser consensual que o cornerback dos Arizona Cardinals, Patrick Peterson é um dos melhores jogadores da Liga na sua posição.

As estatísticas mostram que ele foi o segundo melhor jogador a defender contra o passe, com sete intercepções e mais de 10 passes deflectidos. É particularmente impressionante quando normalmente ele se encontrava a defender o melhor receiver da equipa adversária e quando a ajuda dos seus colegas que defendem contra a corrida não foi nada de transcendente, permitindo aos QB’s adversários terem tempo para esperar que os receivers estabelecessem as suas rotas.

Será que Peterson é assim tão dotado fisicamente e tecnicamente que possa jogar também… no ataque?

Não, isto não é uma promoção da LFL onde as meninas jogam tanto no ataque como na defesa (para saber mais falar com o Edgar Silva que ele responde a todas as dúvidas sobre as beldades da Liga Feminina).

pat

Liz Groman e Patrick Peterson: separados à nascença?

Esta pré-época, o novo treinador dos Cardinals, Bruce Arians tem usado Peterson também como Wide Reciever. Arians disse ao Arizona Republic que “eu tenho esperança que possa ser algo especial (…) depois de ver o atleta que ele é, parece que ele pode ser um dos melhores cinco jogadores da Liga nessa posição.” Poderá ser este apenas um caso isolado? Ou poderemos ter cada vez mais jogadores defensivos que sejam “estrelas” a começarem a pedir para jogar no ataque? Claro que o caso do Peterson não é único, mas neste momento é sem dúvida o mais mediático. Imagino que jogar de um dos “lados da bola” sejam exigente o suficiente, mas no ataque e defesa?

Que acham?

Pedro Viana:

Antes de Peterson, outros já o fizeram (jogar no ataque e na defesa) com maior ou menor sucesso e com maior ou menor reconhecimento. O Hall of Famer Deion Sanders será o exemplo mais conhecido pois para além de se ter destacado como CB do lado da defesa, também alinhou várias vezes com sucesso como WR do lado do ataque. Actualmente não é muito habitual  termos jogadores a alinhar dos dois “lados da bola”, apesar dos Patriots nos últimos tempos terem sido a organização que mais recorrentemente o fez, com o WR/CB Troy Brown na altura em que venceram os 3 Super Bowls sob o comando de Tom Brady, e mais recentemente com Julian Edelman que para além de WR, também defendia como CB. De dizer no entanto que estas decisões de alinhar dos “dois lados da bola” surgiam mais por necessidade, do que pela qualidade quer de Brown, quer de Edelman.

Mas se à umas (muitas) décadas atrás era normal termos jogadores que alinhavam simultâneamente no ataque e na defesa, nos últimos anos isso caiu em desuso, devido à especificidade de treino que cada posição actualmente requer, bem como devido à grande carga horária de treino especifico para cada posição, isto devido à grande evolução que o jogo sofreu nas últimas décadas.

Actualmente essas muitas horas passadas a treinar uma determinada posição, podem ser ultrapassadas quando estamos na presença de jogadores atleticamente muito dotados por natureza, o que faz diminuir as ditas horas de treino que são necessárias (o que é o caso de Peterson), ou quando estamos perante a adversidade, em que devido a limitações no número de jogadores presente no roster de uma equipa, é necessário converter um jogador de uma posição para outra, para colmatar a lesão de um colega de equipa que joga do “outro lado da bola”. Diga-se de passagem que essas trocas acontecem quase sempre entre as posições de WR e CB (mais uma vez o caso de Peterson).

Em suma, não me parece que haver jogadores a jogar simultâneamente no ataque e na defesa seja uma moda que venha para ficar, mas que sejam sim episódios esporádicos, não só pelas razões que já enumerei anteriormente, mas também pelo facto de os jogadores serem investimentos de milhões de dólares para as equipas, e não convém nada colocar esses investimentos em situações de risco acrescido, seja por exemplo por uma passagem da defesa para o ataque (supostamente o risco de lesões no ataque é maior – porque se sofre placagens) ou seja devido ao stress físico extra a que um jogador está submetido por jogar mais tempo (no ataque e na defesa). Ou se calhar também pode ser devido às experiências falhadas – ver o CB Antonio Cromarie que no ano passado ao fim do 1º treino como WR nos Jets já dizia que era o 2º melhor WR da equipa… digamos que a coisa não correu lá muito bem…

Charles Brito:

Como o Pedro referiu, e muito bem, ocasionalmente aparecem jogadores que podem e são convidados a jogarem tanto no ataque como na defesa.
Para isso é necessário uma amálgama de características e de acontecimentos: um jogador “disposto” e com constituição física que lhe permita alinhar mais tempo em campo, uma equipa com deficiências num dos sectores do campo e finalmente, um HC que arrisque…

Deion Sanders (DB e WR), Leon Sandcastle (não resisti), Julian Edelman (WR e DB), Chuck Bednarick (LB e C) são alguns exemplos de jogadores que jogavam regularmente em ambos os lados da bola, mas quem não se recorda de ver Nick “The Refrigerator” Perry ou BJ Raji (ambos DT) a serem FullBacks em situações pontuais (correrem com a bola em jogadas de “short and goal”?

Patrick Peterson é sem dúvida alguma um jogador completo, com características para ser um bom WR, mas como já foi referido, será que compensa, cansar e sujeitar a mais lesões o seu melhor DB? Recorde-mo-nos que além disso é Returner também…

Com um QB com “bom braço”,  um dos melhores WR’s da Liga e um corpo de WR’s  interessante, Bruce Arians não deverá (excepto caso excepcionais) optar por Peterson…

________________________

Pedro Viana:

Peyton Manning em Pistol Formation? Está tudo louco na NFL?

Depois de uma primeira semana de acção  de jogos de pré-época, não se fala de outra coisa senão dos Denver Broncos com Peyton Manning ao comando do ataque, terem alinhado várias vezes em Pistol Formation durante esse jogo. Mas que quererá isso dizer? Vamos ter o Peyton Manning armado em RGIII, Kaepernick ou Russell Wilson a executar jogadas de Read Option?

Não nos enganemos, pois com a idade que Manning tem e depois da operação a que foi submetido à 2 anos atrás, não o veremos, qual Michael Vick, a correr campo fora com a bola nas suas mãos a tentar correr mais rápido que os defesas da equipa adversária (até porque com a sua velocidade não o conseguiria…). Mas esta formação oferece inúmeras vantagens para este ataque comandado pelo experiente QB, pois a partir desta formação é tão eficaz efectuar jogadas de corrida, quanto de passe, o que deixa as defesas mais preocupadas com os dois tipos de jogadas, em comparação com uma jogada executada a partir de uma formação em Shotgun, que à partida está mais virada para o passe.

Assim teremos uma combinação explosiva de um QB experiente, com uma formação igualmente eficaz em passe ou em corrida, que poderá causar muitos, mas mesmo muitos estragos às defesas adversárias.

E read option, não há mesmo read option? Eu diria que não poderemos descartar por completo esse tipo de jogadas, mas a option não passará de certeza absoluta por ser Peyton Manning a correr com a bola ou o running back. O conceito de read option consiste no QB ler (read) um determinado jogador da defesa (que é a chave da jogada) e em função daquilo que o defesa faz, optar por uma das possibilidades (options) da jogada, seja executar um passe, correr o QB com a bola ou correr o RB com a bola. Assim, é bem possível termos Manning a executar este tipo de jogadas, em que no decurso da mesma, após ele efectuar a leitura das acções do defesa chave, Manning optará por uma corrida do RB (ou diferentes caminhos para a corrida do RB) ou por um passe. Esqueçam é a parte de ser ele a correr com a bola… (O pobre coitado ainda tem problemas com o deslizar quanto mais com o correr eficazmente com a bola… ver aqui)

Com toda a qualidade que já rodeava Peyton Manning e com a adição desta Pistol Formation, que lhe permite aplicar ainda mais a sua excelente aptidão a ler defesas, e teremos aqui todos os ingredientes para estarmos perante o representante da AFC no Super Bowl?

Charles Brito:

Para defesa de Peyton Manning, qualquer QB se atira ao chão com as pernas a tremer quando avista Greg Hardy e Charles Johnson, senão acontece isto

Mas passando para o que interessa, o Pistol Formation (tornado moda graças ao RGIII, Colin Kaepernick…) não passa de uma formação Shotgun em que o QB está mais próximo da sua OL, permitindo-lhe assim passar a bola mais depressa, deixando menos tempo à defesa adversária para se preparar, lendo o lance, além de possuir um RB colocado mesmo atrás de si, sem declaração nítida de qual o lado que seguirá (detalhe importante e veementemente recordado pelo Pedro Viana, aquando da última conversa que tivemos sobre o assunto). Peyton Manning é um dos maiores (senão o maior) “leitor de defesas”, os seus complexos códigos e constantes alterações de jogadas permitem-no estar um passe à frente da defesa…

O Read Option não deixa de ser o que ele faz há mais de uma década… Analisar a defesa adversária e optar, mudando os “reads” constantemente até para desespero dos seus colegas de equipa…

Se esperavam ver Peyton Manning correr pelo campo como as últimas fornadas de QB’s… esperem sentados!

Ricardo Silvestre:

O Charles e o Pedro já explicaram bem as vantagens e “desvantagens” deste tipo de formação de ataque para Denver. É “obvio” que Peyton não vai andar armado em RG3 a correr que nem uma galinha sem cabeça no campo (para “galinhadas” já chega o que ele faz antes do snap), mas o “pistol” permite que os RB’s (e já sabemos como é que Denver é uma “fábrica” de RB’s) terem uma boa perspetiva da linha ofensiva e defensiva, o que pode ajudar em jogadas onde a função deste jogador pode ter um envolvimento directo (corrida com a bola) ou a servir como engodo.

Ajuda para os Broncos que tanto Hillman (uma terceira escolha no draft de 2012), o jogador de segundo ano Montee Ball e Knowshon  Moreno são jogadores que podem causar desequilíbrios defensivos. Porque, claro, a defesa não vai estar à espera que seja Peyton a correr com a bola…apesar de ser um “trunfo” que John Fox pode ter para um momento “decisivo”…ohhhh, estilo Super Bowl?

Numa “tangente”. Já viram isto?

(1:08 – “look at this guy using the phone as a phone” LOOOOOL!!)

Primeiro dizer que cada vez que os manos Manning fazem uma coisa em conjunto, o Peyton sai sempre muito melhor na “fotografia”. Já aqui reparei na mesma coisa. É verdade que o Eli tem mais um Super Bowl, mas o Peyton tem mais estilo.

________________________

Charles Brito:

Fantasy Football: mais importante, menos importante ou um complemento da NFL?

O início da Pre Season assinala o regresso dos jogos oficiais na NFL e o início dos Drafts (ou Mock Drafts) dos milhões de Fantasy Leagues pelo Mundo.

Após ter lido este interessante artigo do HuffingtonPost existem cerca de 24,5 milhões de jogadores só nos Estados Unidos!

Quantos de nós “Portugueses” aprendeu o nome dos jogadores graças à FFL? Quantos de nós passam mais tempo à volta das “suas” equipas do que a ver jogos na TV? Quantos de nós passam os Domingos com um olho no PC e outro na TV… a ver as estatísticas dos jogos que passam em rodapé sem estarem particularmente atentos ao jogo transmitido? Quantos de nós já se viu a celebrar o TD do “nosso” QB (na FFL) mesmo quando este foi contra a equipa que apoiamos (na realidade) apenas porque nos permitiu ganhar o desafio desse fim-de-semana? Quantos de nós vivem com o dilema na hora de colocar os titulares quando vão defrontar a nossa equipa?

Como muitos de vocês sabem a Fantasy League fez com que começasse a apoiar uma “pequena” equipa sedeada em Charlotte, apenas porque o meu QB suplente (escolhido em desespero de causa após o anúncio que o meu QB titular não iria jogar a época inteira) era a pérola da minha equipa na FFL…

Todos nós acompanhamos os jogos da nossa equipa, as notícias sobre ela e sobre os adversários da semana ou da Divisão quando começamos a acompanhar a NFL, mas o sentimento que tenho (e já confidenciado a mim por muitos owners) é que acompanhamos a NFL na sua globalidade por causa/graças ao Fantasy Football!

Um amigo e Fantasy-dependente sabe quem é o 4º receiver no depht chart de determinada equipa, apenas porque pode precisar dele um destes dias…

O que acham? Fantasy mais importante? NFL mais importante? Ou… Não há um sem o outro?

Ricardo Silvestre:

Fantasy football (FFL) para mim é uma coisa em iguais partes irritante e estimulante. Irritante por causa da “falta de controlo” que um utilizador de FFL sente quando está a dedicar algum do seu tempo a “gerir” a sua(s) equipes(s). Um dos jogadores de quem esperamos que tenha uma boa performance, corre 17 vezes para 28 jardas, ou tem 8 passes em 22 para 100 jardas e nenhum TD, enquanto no banco temos um RB que marcou dois TD’s e um TE que recebeu 5 passes para 220 jardas mais um TD.

Mas estimulante porque nos faz sentir que pertencemos ao universo NFL.

E aqui respondo à questão do Charles. É um complemento. Mas um muito, muito bem-sucedido. Faz com que um habitual consumidor da NFL tenha ainda mais razões para se dedicar a este interesse, conhecendo melhor os jogadores,  as atribulações semanais  de cada equipa, as opções atacantes dos treinadores, o efeito que os elementos podem ter no jogo, etc.

Para a NFL faz aumentar ainda mais o portfólio de interações. Como qualquer pessoa pode ver, a NFL.com tem “produtos” FFL com fartura; Ligas, analistas, entrevistas, estatísticas, sugestões, curiosidades. Uma autentica “industria”.
Serve também, pelo menos para mim, para um sentimento de “comunidade”. Por esta altura toda a gente sabe que vivi nos Estados Unidos durante 4 anos. Agora, passado 6 anos que deixei aquele país, é muito bom continuar em contacto com os amigos que lá tenho via…FFL. Trash talking! Conversas banais. Trocar as últimas novidades. Ver as fotos da família que se alarga com a vinda de mais uma criança. Inclusive em Portugal também dá para fazer com que se alargue ainda mais a rede de pessoas que se interessam pela NFL em português de Portugal.

Agora só falta é eu ganhar pela primeira vez o caraças de uma das Ligas onde estou há anos!!

Pedro Viana:
Respondendo ao Charles, para mim a NFL é mais importante, mas é para mim inegável, que o conhecimento que tenho hoje em dia da NFL advém de ser um jogador de fantasy league à mais de 10 anos e de já ter perdido a conta ao número de equipas que já tive e ao número de ligas em que já participei.
Quem adquire o gosto pela NFL, adquire-o porque de algum modo ficou a gostar do desporto de Futebol Americano e segue a liga onde este desporto assume o seu expoente máximo, em termos de qualidade, técnica, emoção, competitividade, etc. No entanto é muito normal desenvolvermos uma afinidade por uma determinada equipa, que passa a ser a nossa equipa do coração. Ao desenvolvermos essa afinidade, é natural que conheçamos perfeitamente o plantel da nossa equipa e que estejamos a par de todas as noticias e novidades sobre a mesma. Para além disso, podemos ter algum conhecimento mais aprofundado sobre a divisão onde a nossa equipa alinha e sobre as noticias generalistas e mais mediáticas que vão acontecendo na NFL. Ora como é óbvio essas noticias tendem a ter como alvo as equipas mais mediáticas e com mercados maiores.
Tudo isto leva a que muitos adeptos da NFL sigam apenas uma parte de tudo aquilo que a NFL tem para oferecer, e é aí que as Fantasy Leagues entram em acção, pois de certa forma obrigam os jogadores (e que não seriam jogadores de FFL se não gostassem da NFL) a pesquisar mais sobre todas as equipas, a conhecerem os seus plantéis, a lerem as noticias sobre outras equipas, a estarem a par das lesões de outros jogadores. Tudo coisas que não fariam se não fossem as Fantasy Leagues ou se forem jogadores de Fantasy League pouco interessados em vencer as ligas onde participam 😉
Em suma diria que a NFL é mais importante, e que a Fantasy não vive sem a NFL, mas não diria que a NFL não vive sem a Fantasy, mas lá que a Fantasy tem um contributo imprescindível para a NFL, lá isso é verdade.
Pronto e agora já ficaram a saber como é que eu sei de cor o nome de tanto jogador e as equipas todas por onde eles já têm passado…
Advertisements

2 comments on “Triptico do NFLemPT para a 3ª semana de Agosto

  1. eh eh concordo a FFL é úm grande complemento á NFL e é um enorme produto e de grande importância da industria NFL, o ano passado joguei pela primeira vez e é mesmo viciante…. festejar TD de jogadores cuja equipa nada nos dizem, festejar interceções, ficar chateado quando a equipa do nosso kicker só faz TD ou começa a perder por muitos e já não faz FG…querer por os da nossa equipa real na FFL e perder em ambos, enfim a FFL não é indispensável á NFL mas é muito importante, e é mais um meio de atração de pessoas e como tal de €€€…. aliás quem me dera que existisse um jogo de pc de NFL tipo “football manager” (o famoso fm, de gestão de equipas de futebol), que nos permitisse jogar NFL mas em modo de manager….

    quanto ao peyton, sinceramente ponham-no como quiserem, em 90% dos jogos vai dar espetáculo e por a oval direta nas mãozinhas dos seus receivers…. ele lê as defesas como quase ninguém e faz muito bem o seu trabalho….

    o facto de se jogar na defesa e ataque, penso que atualmente com a especialização é algo em desuso salvo raras exceções como muitas lesões, e apenas em posições mais ou menos similares (CB/WR), (G/T)…. no máximo vejo como normal ser-se CB e returner…. jogar no ataque e defesa como o petterson, só se ocorrendo uma calamidade de lesões ou se os WR fossem todos muito maus(o que não acontece….)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s