Dentro do Game Room para Finais de Conferência 2016 (DENvsNE)

(amanhã leiam a análise do jogo entre Carolina e Arizona)

Temos um tal de Peyton Manning versus Tom Brady para a Final de Conferência AFC.

É totalmente compreensível que não saibam de quem estou a falar. Eu próprio tive de ir ao Google para ver quem eram estes QB’s. Não tinha ouvido falar em nenhum deles e pensava que era a primeira vez que se defrontavam na NFL. Não tiveram a mesma sensação?

E agora, para algo “completamente diferente” (com todo o respeito pelos Monty Python)

É a quinta vez que estes dois senhores se encontram em jogos a eliminar.

bradyvspey

Mas da maneira como a carreira de Peyton está a desenhar-se, esta pode ser a última vez que estes QB’s se encontram nos playoffs.

Mas, a sair, Manning espera que seja com uma vitória. Isso se os seus recievers não andarem a deixar cair bolas como se estas estivessem com a pressão errada…ohhhhhh!!! Too soon?!? (sorry, again fãs dos Pats – não consigo resistir).

Mas mesmo assim, Peyton não tem mostrado muito mais do que estar mediano. Teve um contributo importante para a equipa ganhar aos Chargers e ficarem com o topo da Divisão, mas até mesmo os mais ferverosos adeptos do número 18 não se atrevem a dizer que foi pelo seu jogo. Pela sua liderança, sim, mas foi o jogo em corrida que deu a vitória.

Já contra os Steelers, não teve números muito impressionantes (222 jardas e nenhum TD), mas fez aquilo que era preciso para dar o apuramento. Gary Kubiak prefere continuar a contar com o jogo em corrida, apesar de contra o front seven dos Steelers também não ter feito muita diferença.

Já Tom lançou para 300 jardas num jogo onde Bill Belichick determinou que o game plan era confiarem no passe. Ter de volta Edelman e contar com um Gronk a correr mais riscos é a solução para um Brady que continua no seu melhor no que se trata de colocar passes nos locais certos para só os recievers terem uma hipótese de concretizar a jogada. Já Manning tem mais opções no passe e melhores RB’s.

O que pode fazer então a diferença? No papel, as defesas estão a níveis diferentes. Os Broncos permitem o menor número de jardas aos adversários e são incansáveis na perseguição e pressão ao QB adversário. E a terceira linha defensiva é uma das melhores da Liga. Já os Pats estão em 17º a defender contra o passe e a corrida.

Também algo que pode ser um fator, para além de jogar em altitude, é o que o Sports Authority Field at Mile High consegue ser muito ruidoso, e Brady gosta de chamar algumas jogadas quando vê que formação defensiva está à sua frente. Com o estádio a 100 db’s, não será fácil fazer-se ouvir no meio de tanta algazarra.

Já a nível de coaching staff, os Broncos estão a milhas dos Patriots. Matt Patricia é muito subestimado no trabalho que faz, enquanto McDaniels só tem de se ajustar ao que os adversários lhe dão e confiar em Brady. Belichick tem como “mantra” tirar a arma mais forte ao adversário e esperar que sejam as segundas escolhas a resolver o jogo. Mas como não há “primeiras escolhas” em Denver.

Na minha previsão, os jogadores de Denver estarão extra motivados e isso pode fazer a diferença. E extra porquê? Porque Brady ainda tem carreira para ganhar mais um Super Bowl nos próximos anos…Manning só tem mais esta oportunidade.

denvvsnefc

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s